5 Ideias Para Casas Sustentáveis

Casas Sustentáveis

A questão da sustentabilidade está cada vez mais presente nas discussões atuais, que buscam o consumo de produtos sustentáveis, bem como a adoção de práticas para diminuir, minimizar e até mesmo extinguir os impactos ambientais.

Muito disso deve-se à ação da Organização das Nações Unidas (ONU), que criou a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, um plano de ação para promover a prosperidade, proteger o planeta, além de garantir a dignidade e a igualdade entre a população.

Essa agenda foi adotada por todos os 193 países-membros da ONU, como forma de garantir os 17 objetivos do desenvolvimento sustentável, para manter o equilíbrio na sociedade, garantindo avanços e crescimento econômico contínuo, ao mesmo tempo em que se combate os impactos ambientais.

Diante disso, vemos cada vez mais novas campanhas que buscam dialogar com a sustentabilidade, como forma de garantir a permanência dos recursos naturais para as futuras gerações e, ao mesmo tempo, contribuir para o desenvolvimento econômico.

E na construção civil não é diferente. Não é de hoje que construtoras trabalham ao lado de empresas de consultoria ambiental para a execução de projetos adequados às necessidades das pessoas, mas que não esqueçam de integrar nelas a sustentabilidade.

Vale ressaltar que, quando falamos de sustentabilidade, precisamos entender que os objetos não podem ser simplesmente trocados ou descartados – principalmente as estruturas de uma construção, que são os principais elementos residuais no Brasil.

Um pensamento sustentável inclina-se para escolhas de compra mais convictas, planejadas e que priorizam a durabilidade e funcionalidade de um produto. 

Nesse sentido, as casas sustentáveis aparecem como uma solução viável para quem deseja contribuir com a natureza e, ainda, ter um ótimo retorno financeiro, já que elas são capazes de reduzir custos e contribuir com o gerenciamento de gastos da família.

Por isso, separamos 5 ideias para casas sustentáveis, com algumas dicas de como ter um projeto residencial completo, porém planejado e construído para não agredir o meio ambiente.

Ficou interessado(a)? Então, acompanhe a leitura!

1 – Reaproveitamento de águas pluviais

O desperdício de água é um dos problemas mais sérios que temos no Brasil atualmente. 

De cada 100 litros de água tratada no País, somente 63 litros são consumidos, enquanto 37 são perdidos em vazamentos, ligações irregulares, falta de medição, entre outros fatores.

A situação complica-se ainda mais se pararmos para visualizar que, de toda a água do mundo, somente 3% é doce e pode ser potável, ou seja, que é adequada para consumo.

Nesse sentido, as casas sustentáveis pensam em alternativas para diminuir o desperdício de água e garantir o reaproveitamento de águas pluviais, isto é, da chuva, que podem ser usadas de várias maneiras, como em jardins, vasos sanitários e limpeza.

Para isso, é importante ter um sistema de captação de água da chuva, que pode ser feito através da instalação de cisternas, um reservatório que armazena a água pluvial e a destina para o uso doméstico.

O funcionamento é simples: após a captação da chuva, a água é levada para as calhas até um filtro. Esse equipamento irá eliminar, de maneira mecânica, todas as impurezas, incluindo pedaços de folhas, sujeira, entre outros resíduos. 

Depois, é realizada a suspensão das partículas sólidas depositadas no fundo da cisterna.

O sistema de captação pode ser pensado em conjunto com o projeto de instalações hidráulicas de uma casa sustentável, para tornar o reaproveitamento da água ainda mais fácil e dinâmico. 

Desse modo, o fluxo de água e esgoto é personalizado conforme as necessidades da obra.

2 – Escolha de materiais sustentáveis

Já que uma das premissas das casas sustentáveis é gerar a menor quantidade possível de resíduos e contribuir para a redução dos impactos ambientais, pode ser interessante investir em materiais reciclados ou que permitem o reaproveitamento. 

Como exemplo, temos os moveis planejados sob medida, já que o planejamento de móveis possibilita a escolha de materiais mais resistentes e sustentáveis, além de adequar a mobília às necessidades funcionais dos moradores. 

Um exemplo são os móveis planejados feitos em bambu, que tem sido um ótimo substituto do aço. Além de ser ecologicamente correto, o material é extremamente resistente, inclusive às intempéries (ventos, chuvas e raios solares).

Outra vantagem do bambu é que ele é muito mais barato do que os outros materiais, como a madeira.

Mas, além do bambu, é possível empregar outros elementos na confecção de móveis. Os armários planejados para quarto, por exemplo, podem ser desenvolvidos a partir de madeira de reflorestamento, ou madeira reciclada.

O uso de móveis planejados sustentáveis tornou-se uma tendência na arquitetura, pois além de contribuir com o meio ambiente, há muitas outras vantagens nesse tipo de mobília, tais como:

  • Valorização do ambiente da casa;
  • Melhor otimização do espaço;
  • Maior resistência e durabilidade;
  • Estética agradável e sofisticada.

Os móveis planejados também imprimem a personalidade dos moradores, sendo possível ter armários, guarda-roupas, gabinetes e muitos outros itens conforme o gosto pessoal de cada um.

3 – Tenha uma decoração ecológica

Mais do que cuidar dos materiais e dos sistemas internos da residência, as casas sustentáveis precisam passar essa ideia aos moradores e visitantes. 

Por conta disso, nada melhor do que investir em uma decoração ecologicamente correta.

Você pode usar uma porta lisa de madeira que foi jogada fora para confeccionar uma linda mesa para o seu escritório. Também é possível abusar da criatividade com pallets e caixotes de madeira, que funcionam muito bem como móveis e objetos decorativos.

Outra maneira de incrementar a decoração da sua casa sustentável é dar um toque de natureza no ambiente. 

Você pode fazer isso com plantas-aranhas dentro dos cômodos, que ajudam a purificar o ar, e dão uma sensação de leveza ao espaço.

Para quem mora em locais menores, é possível investir em um jardim vertical, com pequenas plantas para decorar e energizar o ambiente. Inclusive, é possível usar pequenas partes de um pré fabricados de concreto para montar seus vasos em casa.

4 – Faça compostagem orgânica

A compostagem nada mais é do que a reciclagem do lixo orgânico, transformando a matéria residual em adubo natural, que pode ser usado na agricultura, em jardins e plantios diversos, substituindo o uso de produtos químicos.

O processo de compostagem ajuda não só a diminuir a geração de lixo, mas também contribui para a redução do aquecimento global. 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, só em 2015, foram geradas, em média, 32 milhões de toneladas de resíduos orgânicos no País, equivalente a mais de 88 mil toneladas de lixo.

Quando todo esse material entra em decomposição, seja nos lixões ou aterros sanitários, gera o gás metano, um dos principais responsáveis pelo efeito estufa.

Portanto, ter uma composteira doméstica pode ser uma ótima alternativa para quem deseja contribuir com ações sustentáveis e dar um fim melhor para o lixo orgânico.

Para casas e apartamentos sustentáveis, recomenda-se a composteira com minhocas, ou vermicompostagem, que gera o adubo orgânico (húmus de minhoca).

Como a composteira é basicamente um recipiente de decomposição, é preciso ter um lugar próprio para alocar essa caixa, sendo recomendado um buraco na terra, com aproximadamente 0,5 m² e 30 cm de profundidade.

Importante ressaltar que não são todos os alimentos e matérias orgânicas que podem ser colocados na composteira. Carnes, por exemplo, podem gerar mal cheiro e contaminar o processo de compostagem.

Vale dizer também que, para os materiais não orgânicos, é importante separá-los e destiná-los a uma empresa de reciclagem, que fará o reaproveitamento de modo correto, também sendo uma maneira de reduzir a quantidade de resíduos e ajudar com o meio ambiente.

5 – Opte por energias e consumo alternativos

Há muitas mudanças que podem ser feitas em casa para contribuir com a sustentabilidade. Entre elas, podemos substituir alguns equipamentos e acessórios, como as lâmpadas convencionais, que gastam mais energia.

Assim, é possível substituir por lâmpadas de LED, bem com eletrodomésticos com melhor eficiência energética, como soluções para economia de energia consideráveis.

Além do mais, para quem tem disponibilidade de investimento em energia solar, é preciso lembrar que essa é a produção energética mais limpa do mundo, visto que ela não gera resíduos tóxicos na sua produção.

Para a ventilação dos ambientes, opte por deixar as janelas abertas, para facilitar a passagem de ar e melhorar a iluminação do espaço. 

Isso diminui a necessidade das lâmpadas, bem como de equipamentos de climatização, que também gastam energia.

São esses pequenos detalhes que fazem toda a diferença em um projeto de construção de casas sustentáveis. 

Aliás, mesmo para residências convencionais, é possível adaptar essas ideias e contribuir para diminuir os impactos ambientais e garantir a preservação da natureza para as próximas gerações.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leia Também:

Como Prevenir Problemas Nas Instalações Elétricas

Leave a Reply