5 Soluções Para Problemas no Trocador de Calor Tubular

Trocador de Calor Tubular

Como todos os equipamentos, o trocador de calor tubular também pode passar por determinados problemas durante sua vida útil. Podem ocorrer vazamentos, corrosões… mas o mais crítico é se o seu produto final ficar contaminado.

 

Por isso, neste artigo você verá quais são os problemas mais típicos que podem ocorrer neste equipamento e o que você pode fazer para evitá-los.

Problemas no trocador de calor tubular

 

A última coisa que você deseja é um problema com um trocador de calor que mantém as operações ou afeta a qualidade do produto. A manutenção e limpeza adequadas podem evitar muitos problemas típicos.

 

“Respeite os procedimentos recomendados pelo fabricante!” É o melhor conselho para clientes.

 

Isso porque, não é raro que engenheiros de serviço do cliente realizem os próprios trabalhos e cometam erros críticos, como encaixar a junta errada. 

 

E, às vezes, os serviços não são realizados no prazo ou são introduzidos certos “atalhos” para os procedimentos recomendados de limpeza no local. E é claro que atalhos podem comprometer a qualidade e o funcionamento da máquina.

 

Sem contar que às vezes, trocadores de calor tubulares são usados ​​para aplicações para as quais não foram projetados. 

 

Sendo assim, a partir de agora você confere cinco problemas típicos com trocadores de calor tubulares instalados – e claro, com conselhos sobre como evitá-los.

1) Vazamentos devido a mau serviço

 

Os trocadores de calor tubulares normalmente têm um intervalo de serviço de 6.000 horas de operação ou dois anos. O serviço deve ser realizado regularmente neste intervalo por um engenheiro de serviço qualificado.

 

O uso de engenheiros de serviço treinado ajuda a evitar erros, como substituir incorretamente as juntas antigas, o que pode levar a vazamentos.

2) Vazamentos devido a juntas incorretas

 

Um trocador de calor tubular Tetra Pak, por exemplo, possui um grande número de juntas. E tipos diferentes são usados ​​para lugares diferentes, mas podem parecer quase idênticos. 

 

Alguns são feitos para resistir a altas temperaturas e outros não. É importante usar juntas originais com a qualidade certa de borracha e marcadas com uma etiqueta e número do produto para facilitar a identificação. 

 

Siga as instruções cuidadosamente. A junta direita deve ser colocada na seção direita da unidade para que um trocador de calor funcione corretamente sem vazamentos.

3) Vazamentos devido à corrosão

 

Embora esse problema seja bastante incomum, ele acontece e, quando ocorre, pode ser muito sério. 

 

Para a maioria das aplicações de alimentos e bebidas sem sal, é suficiente um trocador de calor de aço inoxidável 316 de alta qualidade. Mas suponha que você decida usar mais tarde o mesmo trocador de calor para processar produtos com certas concentrações de sal. 

 

A solução salgada pode atacar essa forma de aço inoxidável, especialmente em concentrações mais altas e em altas temperaturas. O resultado pode ser desastroso se um orifício se formar e o produto recebido no lado do invólucro se misturar com o produto de saída no lado do tubo. 

4) Contaminação por falta de limpeza

 

A limpeza adequada de acordo com as recomendações garante a esterilidade dos trocadores de calor. 

 

Se você tem um processo de limpeza que funciona bem, não o altere! Apenas alterando o agente de limpeza ou reduzindo o tempo, você poderá economizar dinheiro – mas a limpeza pode se tornar menos eficiente, resultando na acumulação de resíduos. 

 

Isso significa que bactérias indesejadas podem se multiplicar e que você não está esterilizando o equipamento adequadamente. Da mesma forma, você pode ter problemas se a limpeza não for realizada em intervalos regulares. 

 

Portanto, para evitar problemas, a limpeza do trocador de calor sempre deve ser realizada de acordo com o programa recomendado pelo fabricante para limpeza no local. Uma limpeza inadequada pode comprometer a qualidade dos componentes.

5. Queda de pressão está muito alta

 

Pode haver várias razões para um aumento na queda de pressão. Talvez um ingrediente, como um derivado de amido, tenha sido substituído por amido de outro fornecedor, e a viscosidade do produto tenha mudado. 

 

Peça orientação ao fabricante quando alterar a receita do produto e ele deverá poder atualizar ou modificar o trocador de calor para manipular um produto mais viscoso. 

 

Sempre que selecionar um trocador de calor tubular adequado, é importante que o fabricante conheça as propriedades físicas exatas do produto. 

 

Por exemplo, a Tetra Pak geralmente pode fazer testes específicos em seus laboratórios para obter as propriedades exatas de viscosidade do produto de um cliente antes de projetar um trocador de calor para lidar com isso. Dessa maneira, a vazão pode ser mantida sem aumentos inesperados na queda de pressão.

Leave a Reply