Bem estar: saiba como aumentar a autoestima na terceira idade

Como Aumentar A Autoestima

Com o avanço da idade inúmeros problemas de saúde se mostram cada vez mais presente. Como, dessa forma, manter uma autoestima elevada e a saúde em dia mesmo na terceira idade?! Confira neste artigo!

Manter a autoestima elevada ao longo da vida é uma tarefa árdua. Com tanta pressão da sociedade para obtermos um determinado estilo de corpo, jeito e rotina, nos sentimos cada vez pior em relação ao outro. O modo como nos vemos e como nos sentimentos com essa relação da imagem de nós na sociedade, é o que define a autoestima.

Se a busca por uma auto aprovação é seguida durante a vida inteira e nunca saciada, quando nos deparamos com a dita “melhor idade” (aqui compreendida pela fase a partir dos 60 anos), temos que promover ainda mais o nosso autocuidado. Afinal, os idosos não são tão valorizados na nossa sociedade, nem como força de trabalho, produção científica e beleza. Mas, como mudar esse pensamento?

Estar de bem com a vida e com você mesmo é um grande remédio natural! O autocuidado tanto físico quanto mental, em qualquer idade, estimula hormônios da felicidade que dão a sensação de prazer e bem estar. Assim, o organismo trabalha melhor e ajuda a combater doenças ligadas ao emocional e à imunidade.

Por isso, cultivar a autoestima elevada na terceira idade os ajuda a levar uma vida mais saudável, aumenta a expectativa de vida e também auxilia no combate à doenças como depressão e ansiedade. Por isso, entenda neste artigo como manter uma boa autoestima e melhorar a qualidade de vida na terceira idade!

Mudança de hábitos

O que significa ter autocuidado? Cuidar-se de si é uma forma de preservar sua saúde mental e física, garantindo que alguns aspectos da sua vida andem bem e de forma saudável. Consequentemente, isso aumenta nossa autoestima e as nossas relações interpessoais melhoram.

Para os idosos, ter esse autocuidado, muitas vezes, depende de fatores externos, como a presença de um acompanhante ou um membro familiar. O que é essencial ter em mente, é que em qualquer situação é necessário uma mudança de hábito e rotinas.

Existem muitos idosos que acabam ficando sozinhos no “fim da vida”. No entanto, esta atitude é um potencializador de doenças como depressão e síndrome do pânico. Somos seres sociáveis, precisamos estar em contato com o outro para nos sentirmos bem e felizes. É por isso que é tão importante vivermos em comunidade e fazermos conexões com pessoas com gostos em comum aos nossos. Com os idosos isso não é diferente, muito pelo contrário, é fundamental!

Cercar-se de colegas, familiares, jogar bingo, baralho, dominó, praticar esportes (na medida do possível), fazer um chá para as amigas, ou o dia de assistir futebol pela TV… Tudo isso são formas de cuidar da saúde mental e de praticar o autocuidado. Quando nos sentimos bem na presença do outro, aumentamos nossa autoestima. Em tempos de pandemia como agora, por exemplo, as atividades sociais podem ser substituídas pela presença virtual seja através da internet ou do telefone.

A autoestima na beleza: a saúde começa pela boca

Falando de autoestima precisamos tocar um assunto muito essencial nesta questão: a beleza. Como falar em beleza na terceira idade se os idosos estão fora do padrão de uma sociedade que só valoriza o que é novo?

Mas, engana-se quem acha que idoso não pode se sentir jovem e bonito. O conceito de juventude vai muito além do que é definido por idades, mas sim, é um estilo de vida! Já a beleza, é um conjunto de cuidados entre  saúde e  estética.

Por isso, para a maioria dos idosos, ter um sorriso perfeito é uma questão que envolve mais do que vaidade: transforma a autoestima e a qualidade de vida. Existem idosos que chegam até a utilizar dos mais modernos procedimentos estéticos e dentários para poder ser cada vez mais bonito! Há quem já usou lente de contato dental para cobrir manchas dos dentes ou quem até procure por técnicas específicas, como clareamento dental com moldeira.

O importante é buscar procedimentos que sejam de fato bons para a saúde e, claro, deixem mais bonito. É interessante pesquisar sempre o valor destas técnicas, afinal ninguém pode sair no prejuízo. Por isso, busque por clareamento dental   ou  implantes dentários para definir o que for melhor e caiba no seu orçamento.

O papel da família na autoestima dos idosos

Como seres sociáveis, precisamos do apoio familiar para mantermos boa nossa autoestima e nossa saúde mental. Para os idosos, isso muitas vezes se torna ainda mais essencial, uma vez que a maioria depende, tanto financeiramente quanto fisicamente, da presença de um familiar.

Como podemos ajudar os idosos da nossa família, então?! Dando suporte emocional, ouvindo as demandas da pessoa, expressando o quanto a pessoa importante, entre outros… São fatores que ajudam nesse processo de envelhecimento, deixando o fato de que o tempo está passando, menos árduo.

Autoestima e autocuidado até o fim

Você pode acompanhar neste artigo alguns aspectos que auxiliam no aumento da autoestima e no fortalecimento do autocuidado de idosos. É importante ressaltar que a mudança de hábitos, seja de forma pequena, resolve muito os problemas de autocuidado e que uma boa atenção com a saúde bucal já encaminha 90% da beleza de alguém, principalmente de um idoso. Assim, vale relembrar: como mudança de hábitos, temos

  • cercar-se de pessoas;
  • fazer atividade física;
  • ter pensamentos positivos;
  • ficar perto dos familiares.

Seguindo esses passos, conseguimos manter boa tanto a nossa autoestima quanto a dos idosos ao nosso redor. Porque, autoestima e autocuidado precisam ser para a vida toda!

Conteúdo produzido por Beatriz Estima, redatora na empresa Vue Odonto

Leia Também:
5 Dicas Para Emagrecer Com Saúde

Leave a Reply