Cashback: como funciona e quais são as vantagens para o seu negócio?

Cashback

Notícias – Há dois elementos de qualquer negócio que nenhum empresário pode ignorar: um é a clientela, o outro a concorrência. Por isso mesmo, esforços para tentar agradar os clientes são sempre bem vindos. Um dos mais recentes e ousados diz respeito ao cashback.

Trata-se de um dos programas de recompensa mais ousados dos últimos anos. Esses tipos de programas são aqueles em que o cliente é fidelizado, passa a acumular pontos e ganhar vantagens em função disso.

De fato, tais campanhas publicitárias, que visam a aumentar agressivamente a taxa de fidelização dos clientes, já são famosas nos EUA e na Europa pelo menos desde a década de 1990.

No Brasil elas chegaram há menos de uma década, e ainda assim são pouco conhecidas por grande parte da população. Adiante abordaremos as vantagens desse tipo de estratégia, e como ela pode ajudá-lo. Aproveite!

Muito mais que um “programa de pontuação”

 

A maior diferença do cashback para qualquer outro programa de pontuação é que ao término das campanhas ou acúmulos que o cliente faz ele não ganha “pontos”, mas dinheiro.

Em tradução direta, “cashback” significa “dinheiro de volta”. As regras de participação variam bastante conforme as plataformas, sistemas ou aplicativos em que o cliente se inscreve, mas a essência da proposta é sempre a mesma.

Também assim, os programas podem ser disponibilizados por cartões de crédito (ou seja, as grandes administradoras de cartão), bem como por empresas independentes e de varejo, tal como as grandes redes de casa e construção, que vendem desde parafusos e eletrodoméstico até acessórios para cabo de aço industrial.

As vantagens dessa universalidade do cashback, nós exploraremos melhor adiante. Vejamos o fato de ele não lidar com pontuações: pode não parecer, mas se trata de uma verdadeira revolução.

Basta lembrarmos que programas de recompensa já são conhecidos por todos nós, sendo o caso mais clássico o de acúmulo de pontos para converter em milhas e viagens. Ora, apesar da popularização dessa estratégia de pontos, não é raro o índice de insatisfação dos clientes ser bastante alto nela.

É comum, por exemplo, uma leitura errada sobre as regras, o que faz a pessoa acumular muitos pontos a troco de “nada”, pois nunca chega à quantidade necessária para trocar pelos melhores produtos/serviços.

Ao devolver as vantagens em dinheiro, o cashback acaba com isso de uma vez, e aumenta consideravelmente a taxa de satisfação dos clientes.

Além disso, ao não ter de esperar muito para “converter” as vantagens, nem estar limitado a poucas lojas onde fazê-lo, com o tempo o cliente acaba se engajando muito mais.

Cashback vs. Intermediadores de Pagamento

 

Além de ser muito mais do que um programa de pontuação, o cashback também não se confunde com aqueles intermediadores de pagamento. É justamente isso o que garante sua universalização.

Como dito, o dinheiro que o comprador recebe de volta após cumprir as regras pode ser convertido em bônus para novas compras, mas também pode ser transferido diretamente para conta bancária, corrente ou poupança.

Assim, enquanto os intermediadores de pagamento se limitam a poucas plataformas, e quase sempre restritas ao universo digital, o cashback lida tanto com lojas virtuais quanto e-commerces.

Atualmente, sua presença é comum em:

  • Varejos e atacadistas;
  • Postos de gasolina;
  • Lojas de conveniência;
  • Supermercados;
  • Restaurantes, etc.

Além disso, já existem várias empresas se beneficiando desse tipo de vantagens. 

Existem contas de pessoas jurídicas que desfrutam de iguais benefícios, só que em setores como fabricantes de equipamentos industriais e demais áreas de compra e venda corporativa.

Quais as vantagens de usar no e-commerce?

 

As relações do cashback com os e-commerces especializados são um dos grandes pontos desse tipo de estratégia. O que se tem visto nesse sentido são várias parcerias que visam a garantir uma série de vantagens.

Uma das principais delas tem a ver com equilíbrio ou pulverização de estoque. No caso industrial, uma empresa que comercializa, por exemplo, soluções voltadas para vedações industriais, pode ter um portfólio bastante variado, e excesso de materiais parados por mais tempo do que o ideal.

Por outro lado, o interessante é que o cashback varia em termos de percentual de devolução, conforme as vontades e disponibilidades da empresa que dispõe dos produtos, permitindo criar ofertas específicas.

Às vezes, a própria plataforma pode sentir um aumento especial na demanda de determinado artigo, e incentivar a distribuidora a diminuir os valores, com isso aumentando mais ainda as vendas.

Quando a estratégia é essa, a gama de possibilidades de parcerias com segmentos e nichos variados é enorme.

Outro exemplo é o de uma empresa que atende o público de assistências e técnicos que operam conserto placas eletrônicas, cujas peças podem ser estocadas por longo tempo, estimulando compras maiores (como de lotes) em prol de economias e descontos.

Desfazendo um preconceito bastante errôneo

 

O cashback tem se apresentando como uma das estratégias mais agressivas e ousadas. Especialmente no que concerne à excelência de lidar com todos os tipos de clientes.

Em um mercado cada vez mais competitivo, é preciso saber inovar. Durante algum tempo certos nichos de mercado tiveram receio de iniciar parcerias com plataformas que oferecem cashback.

Esse medo principal envolvia um pouco do que foi dito acima, como o receio de a marca ser associada a programas de pontuação, ou mesmo a sites coletivos de vendas, que acumulam pedidos para conseguir grandes descontos.

Assim, uma empresa que fornece embalagens de madeira para exportação, por exemplo, podia ter receio de que seu produto (que é essencial em processos logísticos, e precisa da confiança do cliente) fosse associado a qualquer “saldão” ou promoção, caindo em descrédito.

Porém, com o tempo o cashback conseguiu mostrar que não é nada disso, pois sua estratégia é segura e sustentável. E as pessoas perceberam que ele não altera em nada a qualidade dos produtos.

De fato, a plataforma que opera o cashback não lida com produtos diretamente, ela depende totalmente de parcerias com varejos, lojas em geral ou fábricas.

Outro exemplo ilustrativo é o de acoplamentos industriais. Obviamente, esse setor depende de um nível grande de excelência e segurança, já que lida com vedações, correias e engrenagens. Como dito: a plataforma de cashback jamais entraria na produção dos acoplamentos.

Internacionalização e aumento da concorrência

Com o avanço vertiginoso dos e-commerces, as estratégias de fidelização de clientes têm crescido de modo igualmente acelerado. 

Já não é segredo para ninguém que todos os segmentos e nichos de mercado hoje são comercializados pela internet, o que aumenta o alcance do cashback.

Alguns chegam a ser operados exclusivamente pela internet, sobretudo quando as peças são suficientemente técnicas e saem de fábrica lacradas, permitindo pouca ou nenhuma margem para erros, tanto da parte do despachante, quanto da parte do destinatário.

É o caso de uma indústria de revestimento de cilindros, um nicho bastante próximo dos outros exemplos dados acima. Neste caso, embora pareça uma área distante de nós, ela lida com o setor de embalagens, de plásticos, de confecção e têxtil, de vidros e até papel e celulose.

Os departamentos de compras dessas indústrias já se acostumaram a receber contatos e mais contatos de e-commerces, plataformas e marketplaces, sempre oferecendo seus serviços, que são os de fazer a ponte entre a empresa vendedora e os compradores.

Essa regra é geral e circunda todos os segmentos. Até mesmo setores altamente industrializados, como os que lidam com peças para colhedora de cana, entre outros dispositivos e maquinários da agricultura, realizam suas compras pela internet, muitas vezes cotando com sites nacionais e outros internacionais, não raro em países como a China.

Ou seja, em todos esses casos a concorrência é enorme. Sendo assim, a fidelização do cliente se torna, sem dúvida, uma questão de sobrevivência.

O cashback e a base de dados dos clientes

 

Em termos gerais, as vantagens e benefícios do cashback são tão grandes que os empresários não apenas optam por trabalhar com plataformas que oferecem essa solução, como eles próprios se tornam propagadores da ideia e querem comprar somente com lojas que ofereçam essa opção.

Outras vantagens cumulativas são:

  • Aumento na visibilidade da marca;
  • Aumento da satisfação dos compradores;
  • Otimização e realocação de estoques;
  • Aumento no número de vendas/clientes;
  • Formação de leads e base de dados, etc.

Certamente, só de ler os enunciados um empresário já compreende todos esses pontos supracitados. Além disso, já tratamos de todos eles acima, porém não do último deles.

Todo mundo já ouviu dizer, ao menos uma vez, que informação é poder, não é mesmo? Quem batalha para conseguir leads e dados de pessoas possivelmente interessadas no seu produto/serviço sabe quanto um simples e-mail para contato pode valer para um empresário.

Imaginemos agora um programa ou campanha tão vantajosa que os clientes terão prazer de disponibilizar seus nomes, dados para contato, endereço e até CPF e demais dados pessoais.

É o que o cashback permite e promove com suas vantagens!

Após obter todos esses dados e inseri-los em softwares de gestão, é possível integrar tudo e aumentar a relação com os clientes, encaminhando novidades e promoções com base no que eles costumam comprar.

Obviamente, isso aumenta ainda mais as vendas e os resultados gerais do negócio que passa a utilizar o cashback.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leave a Reply