O que é e qual a importância da impermeabilização?

Impermeabilização

A impermeabilização é uma técnica que se utiliza de produtos específicos com o intuito de proteger as partes de um imóvel contra as diversas ações da água, que podem ser causadas pela chuva, limpeza, banhos, etc. Esse processo deve ser feito para evitar problemas como infiltração e umidade, que interferem na saúde do ambiente e consequentemente na qualidade de vida dos usuários, e também na aparência da edificação, sendo um verdadeiro incômodo.

Contudo, por mais que seja uma etapa fundamental na obra, a impermeabilização muitas vezes não é incluída e provoca diversas dúvidas nos construtores e proprietários. Por isso, no post de hoje, vamos esclarecer de uma vez por todas o que é e qual a importância da impermeabilização.

O que é a impermeabilização?

A impermeabilização é um processo que irá isolar e proteger os materiais e superfícies de um imóvel que estão sujeitas às adversidades climáticas, evitando a passagem de líquidos e vapores para manter a edificação em boas condições por um maior período de tempo. No entanto, a utilização dessa técnica deve ser planejada previamente para aumentar a eficiência e diminuir os custos. Isso porque, quando feita da forma incorreta, a impermeabilização afeta a durabilidade do imóvel, causando prejuízos não apenas para o bolso, mas para a saúde dos usuários também.

Qual a importância da impermeabilização?

A impermeabilização é de suma importância em uma construção, visto que ela é uma das responsáveis por garantir a vida útil dos projetos estruturais das construções, sejam elas residenciais, comerciais ou empresariais. Afinal, sem ela, a umidade será absorvida pela estrutura da edificação, como concreto, alvenaria e revestimentos, causando danos irreparáveis a longo prazo. Os problemas podem variar desde uma formação de mofo pequena, até o surgimento de goteiras, movimentação de azulejos, corrosão e ferrugem.

Além disso, a umidade facilita o aparecimento de fungos, tornando o ambiente totalmente insalubre, prejudicando a saúde e qualidade de vida das pessoas a curto e longo prazo.

Como funciona e quando utilizar essa técnica?

O processo pode parecer complexo, mas na verdade é bem simples. É necessário utilizar produtos que impermeabilizam a superfície criando uma barreira física resistente à água e outros líquidos, impedindo a absorção da umidade pelos móveis, esquadrias, estruturas, etc, evitando assim infiltrações, mofo, bolor e manchas. Para isso, esses produtos precisam possuir em sua composição uma resina que irá envolver a estrutura das superfícies do ambiente, repelindo imediatamente os líquidos que entram em contato elas.

A técnica de impermeabilização deve ser utilizada em quase todas as etapas de reformas e construções, ou seja, desde fundações, subsolos, paredes de contenção e lajes, até áreas realmente molhadas, como piscinas e reservatórios. Além disso, a impermeabilização deve ser feita por um profissional capacitado para evitar problemas futuros e não alterar características, como cor e textura.

Quais superfícies devo impermeabilizar?

Por fim, não pense que todas as superfícies da edificação devem ser impermeabilizadas, mas existem algumas principais que são as mais indicadas para receber a técnica:

  • Paredes e Esquadrias: Devem ser utilizados selantes específicos nas áreas mais propensas à infiltração, como trincas, fissuras, etc.
  • Calhas: Também são indicados selantes em pontos de arremate dos ralos. Contudo, manter a limpeza em dia é fundamental para evitar problemas em períodos de chuva.
  • Lajes: Nesse caso, as lajes já passaram pelo processo no momento da construção. Contudo, é preciso realizar a manutenção periódica, além de manter ralos, juntas e rodapés limpos.
  • Rodapés: Aqui, a técnica deve ser feita também no momento da construção de forma correta, não sendo utilizada como um método paliativo. Isso porque, a umidade vinda do subsolo poderá causar danos irreparáveis.

Portanto, além de aumentar a durabilidade do imóvel, a impermeabilização não deixa resíduos tóxicos ou alergênicos, contribuindo para a saúde do ambiente e de seus usuários.

Leia Também:

5 motivos para você separar o lixo reciclável

 

Leave a Reply